Arquivo do autor:Diógenes Cesar

Killfail

Após registrar a certo momento que o número de jogadores online não chegava a 450, a Sony decidiu retirar do site oficial do game Killzone 2 o um programa que fazia a contagem do número de jogadores que se encontravam online naquela hora.
É certamente um número muito baixo, dado que o jogo vendeu aproximadamente 2 milhões de cópias e mais alarmante ainda se constatarmos que jogos na rede concorrente Xbox Live como Call of Duty: Modern Warfare 2, Halo 3 e Gears of War 2 chegam a terem picos de 4 milhões de jogadores simultâneos.

Após registrar a certo momento que o número de jogadores online não chegava a 450, a Sony decidiu retirar do site oficial do game Killzone 2 o um programa que fazia a contagem do número de jogadores que se encontravam online naquela hora.
É certamente um número muito baixo, dado que o jogo vendeu aproximadamente 2 milhões de cópias e mais alarmante ainda se constatarmos que jogos na rede concorrente Xbox Live como Call of Duty: Modern Warfare 2, Halo 3 e Gears of War 2 chegam a terem picos de 4 milhões de jogadores simultâneos.
Vejam em: http://www.killzone2.com

do http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI67182-9531,00-AMY+WINEHOUSE+E+FLAGRADA+EM+CLIMA+DE+INTIMIDADE+COM+SEGURANCA.html

Amy Winehouse exibe seu escultural corpo e seu belíssimo novo pega. Com direito a pagação de peitinho.

Se não fosse a Sra. Lado C acho que eu teria virado viado depois de ver isso.

por Diogenes L. Cesar

Ronaldo

As três maiores obras da história do Heavy Metal (brasileiro)

Medalha de Bronze

OCULTAN – Quimbanda, the glorification of Evil

Nem preciso dizer nada, a descrição do vídeo já é engraçada o suficiente:
” DVD “CEREMONY OF HATE”
05/10/2008 – Live in Brazil (Belo Horizonte/MG)
Categoria: Música
(destaque para a parte grifada)

Medalha de Prata

SHAPT – Piratas do Metal

Mais uma prova que o metal brasileiro é forte, devastador e incrível. Além de muito engraçado. Ao menos, esse pessoal não se leva a sério, como o Ocultan.

Medalha de Ouro

RITUAL – Senhor das Trevas

Eu simplesmente não tenho palavras pra descrever isso. Seja pelo magnífico instrumental (rápido, nervoso, quase grind-punk), pelas profundas e sombrias letras ou, especialmente, pelo talentosíssimo vocalista, Ritual se marca como não só uma das melhores bandas de metal da história do Brasil como também como uma das mais revolucionárias da história – afinal o jeito que eles estão fazendo “música” é inédito. Infelizmente a revolução ainda não chegou, mas somos metaleiros, brasileiros e não desistimos nunca!

por Diogenes L. Cesar

Voltei

Dessa vez para ficar

Internet: politicamente correta. Not.

Sabe quando você sabe que é errado rir de algo…. e ri mesmo assim?

Detalhe que o rapaz aí de cima faz parte de uma série de vídeos cômicos chamada “Retardid Policeman”, procurem no YouTube por mais cultura.

Caixinha de surpresas

Sou muito maldoso ou esse anúncio é EXTREMAMENTE sugestivo?

https://i0.wp.com/bp3.blogger.com/_MryQii-dvu8/R0-t61I30PI/AAAAAAAAA78/TFaxD8cVV4w/s400/Dick+In+A+Box+Warehouse+One.jpg

Pode-se até achar que foi um descuido dos envolvidos, mas liga o olhar de “Wando-colecionador-de-calcinha-na-seca” do maluco (e ao julgar como a mina está se preparando pra cair de boca, missãso cumprida):

https://i1.wp.com/bp0.blogger.com/_MryQii-dvu8/R1AfY1I30QI/AAAAAAAAA8E/71DhqNiAbPs/s400/Dick+In+A+Box+Warehouse+One+Crop.jpg

Justin Timberlake já usou dessa técnica:

https://i0.wp.com/bp1.blogger.com/_MryQii-dvu8/R1AmRFI30RI/AAAAAAAAA8M/aiBkEe2B42w/s400/Dick+In+A+Box+Check+2.jpg

Mickey Rourke também:

https://i2.wp.com/bp3.blogger.com/_MryQii-dvu8/R1DvGYBUFoI/AAAAAAAAA8s/Kp_Z85ZMydc/s400/vlcsnap-773298.png

E, obviamente, Dr. Zoydberg não poderia deixar barato:

https://i0.wp.com/bp0.blogger.com/_MryQii-dvu8/R1Ic0IBUFyI/AAAAAAAAA-A/SRghdRm2aFk/s400/vlcsnap-1601464.png

Para os interessados em entrar no maravilhoso mundo do “Dick in a Box”, saiba que há caixas pré-fabricadas para a ocasião:

//nerdapproved.com/wp-content/uploads/2008/07/dick-in-a-box.jpg

Reparem no regulador de grossura, que vai desde “O Oriental”, passando pelo “O Afro-Descendente” até chegar ao tamanho “O Diogenes L. Cesar”.

por Diogenes L. Cesar